Apresentação

Um encontro é um espaço para o imprevisível. Uma possibilidade de espanto. Um estado de abertura e novos enraizamentos, de antigas descobertas, de contradições e espasmos. Uma provocação para trocas, para estar-se, para não ser e experimentar-se em transformação enquanto movedor, movimento, impulso e movência, tudo isso na partilha, dos olhos, da pele, do pulso, do centro, do chão, no denso, no leve, no dentro, com… Um encontro onde o outro somos, é coletivo, um contato para muitas improvisações. Um estado latente de criações que se realiza no tempo dos corpos compartilhados.

O Contato Coletivo nasceu do encontro de artistas do Coletivo Lugar Comum com outros pesquisadores e dançarinos da prática no Brasil e em várias outras partes da América Latina.

Esta é a terceira edição do nosso Contato Coletivo – Encontro de Contato Improvisação de Pernambuco, um convite a fortalecer a rede e recriar espaços de diálogos, de compartilhamentos, de investigação, de convivência, de parcerias e de afetos, onde o corpo é o suporte de todos os acontecimentos, em toda sua dimensão rítmica, poética, holística, material e singular.  Um convite a dançar a experiência no tempo do instante, onde entrega e resistência, permanência e movência se tocam e se expandem. Para participar, basta se deixar mover pelo desejo da troca e fazer a sua inscrição.

O Contato Improvisação foi proposto em sua origem por Steve Paxton, dançarino e coreógrafo americano, em 1972. Ele estava interessado em descobrir como a improvisação em dança poderia facilitar a interação entre os corpos, suas reações físicas, e em como proporcionar a participação igualitária das pessoas em um grupo, sem empregar arbitrariamente hierarquias sociais. Paxton chamou a dança de contact improvisation porque descrevia exatamente o que eles estavam fazendo. Ele buscava explorar os aspectos físicos no trabalho como valor neutro: o que era possível fazer, e não o que pareceria esteticamente. De acordo com Paxton, “a estética ideal do Contato Improvisação é um corpo totalmente integrado”. Steve Paxton nasceu e foi criado no Arizona, e trouxe muitas linhas de treinamento do movimento em sua dança. Foi atleta, ginasta, artista marcial e um dançarino moderno. No início de 1960, Steve dançou na companhia de Merce Cunningham e participou das transformações da dança nos anos 60 no mundo.

Para aprofundar a pesquisa sobre a presença da prática no Brasil e no mundo, o calendário dos encontros por aí e a história do CI acesse também o site Contato Improvisação Brasil.

Ficha técnica

Concepção do Encontro: Conrado Falbo, Liana Gesteira, Lorena Cronemberger, Maria Clara Camarotti, Paloma Granjeiro, Sílvia Góes e Vi Laraia
Coordenação Geral: Liana Gesteira
Produção Geral: Lorena Cronemberger, Maria Clara Camarotti e Vi Laraia
Produção Executiva: Paloma Granjeiro
Programação Pedagógica: Conrado Falbo
Instrutores de oficina: Ana Alonso, Gustavo Lecce, Hugo Leonardo, Nicolás Cottet e Tatiana Perez
Coordenação Técnica: Luciana Raposo
Divulgação: Sílvia Góes
Arte Gráfica: Daniela Brilhante
Desenhos da Arte Gráfica: Conrado Falbo
Site: Felipe Dário
Realização: Coletivo Lugar Comum